Ex Machina: Inscrição e Literatura

Objectivos do projeto:

O projeto “Ex Machina: Inscrição e Literatura” analisa formas, práticas e processos literários como sistema de inscrições de base tecnológica e medial, teorizando a experiência da significação literária a partir dos seus dispositivos. A datilografia alterou a relação da mão com a escrita, intensificando a consciência do código alfabético nos processos de composição literária. O computador e o processador de texto acentuaram as modificações introduzidas pela máquina de escrever, codificando e programando a escrita. A consciência acrescida da mediação técnica nos processos de produção simbólica, decorrente da generalização da reprodutibilidade digital e das redes de telecomunicação no mundo contemporâneo, permitiu desnaturalizar os dispositivos comunicacionais anteriores, como a imprensa e o livro ou o cinema e a fotografia, e reperspetivá-los a partir dos modos maquínicos de inscrição da palavra e do real. O poder simulatório e combinatório da tecnologia digital incrementou formas de criação literária de tipo metamedial e intermedial. Este projeto investiga o acoplamento entre as tecnologias analógicas e digitais de inscrição enquanto sistemas de notação e os processos de invenção literária. Trata-se de analisar e teorizar os processos digitais e analógicos de inscrição, num contexto de proliferação medial das práticas de escrita.

Participantes da UFP:

Prof. Doutor Rui Torres (Investigador)

Entidade proponente:

Grupo “Mediação Digital e Materialidades da Literatura” (IP: Paulo Silva Pereira)

Projeto apoiado por:

Centro de Literatura Portuguesa (CLP), Unidade de I&D da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra apoiada pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Para mais informações:

https://www.uc.pt/fluc/clp/inv/proj/meddig/exmach