Validação e optimização de MALDI-TOF para identificar e monitorizar clones de Escherichia coli e mecanismos de resistência a antibióticos clinicamente relevantes: uma abordagem translacional

A disseminação global de clones de Escherichia coli de alto risco resistentes a antibióticos e com grande potencial de virulência constitui um dos maiores desafios da actualidade em Microbiologia Clínica, o qual necessita de abordagens renovadas e soluções globais.

Esta problemática tem sido tradicionalmente abordada por uma estratégia epidemiológica baseada na caracterização de estirpes que codificam para mecanismos de resistência aos antibióticos usando métodos genotípicos que, na maioria dos casos, são morosos, laboriosos e caros.

A espectrometria de massa assistida por laser de matriz de dessorção/ionização de tempo de voo (MALDI-TOF) é atualmente uma metodologia simples, rápida e de baixo custo rotineiramente aplicada com sucesso em diferentes laboratórios de Microbiologia Clínica para identificação bacteriana. O seu potencial para discriminar isolados bacterianos ao nível da subespécie ou a sua capacidade para detetar e diferenciar determinados mecanismos de resistência a antibióticos constituem objetivos novos e promissores.

A hipótese de trabalho deste projeto consiste em que a utilização de uma abordagem combinada de MALDI-TOF e técnicas convencionais genotípicas para análise da diversidade clonal e identificação de genes de resistência a antibióticos, poderá constituir uma ferramenta fiável para desenvolver novas abordagens para rapidamente identificar, detetar e rastrear clones ou subgrupos de E. coli de alto risco ou genes de resistência a antibióticos amplamente disseminados na prática clínica e, eventualmente, ser aplicável a outras espécies bacterianas de importância clínica.

O objetivo geral deste projeto é avaliar, com uma abordagem translacional, o potencial de MALDI-TOF para detetar e identificar as principais linhagens de E. coli clinicamente relevantes com determinados mecanismos de resistência a antibióticos.

Este projeto é oportuno e inovador porque se centra numa área de alta prioridade no âmbito de programas de financiamento da UE em investigação sobre doenças infeciosas, e consiste numa nova aplicação de uma tecnologia já disponível em vários laboratórios de Microbiologia Clínica, o que permitiria a identificação e rastreio de clones E. coli de alto risco e/ou mecanismos de resistência a antibióticos ou genes de virulência particulares. Estas novas aplicações são de extrema importância para otimizar o diagnóstico, orientar as intervenções terapêuticas e, finalmente, para melhorar o controlo de doenças infeciosas e a intervenção no paciente a nível individual.

Participantes da UFP:

Entidade proponente:

  • Instituto de Ciências e Tecnologias Agrárias e Agro-Alimentares – Porto (ICETA-Porto/UP)

Projeto apoiado por:

  • Fundação para a Ciência e a Tecnologia (referência EXPL/DTP-SAP/1797/2013)